quarta-feira, dezembro 23, 2009

De regresso...

Depois da extenuante actividade do período eleitoral, o maranhão aproveitou para fazer gazeta.

No entanto, fica prometido que no novo ano regressará com um novo figurino «editorial» que, esperemos, seja do agrado da maioria dos seus leitores.

Agora, resta-nos desejar boas festas a todos os que passem por aqui e, particularmente, aos nossos companheiros da blogosfera: Do Castelo, Desabafos e Portal Avis.

















Informar é preciso

Cerca de dois meses depois dos novos executivos autárquicos tomarem posse, eis que nos chegam os boletins da JF de Avis (à esq) e da CM de Avis (à dir.)

segunda-feira, novembro 16, 2009

quarta-feira, novembro 11, 2009


























Guardar instantes mágicos apenas com um clic, nem é fácil, nem está ao alcance de qualquer um.

O Ricardo Calhau, é um dos que tem esse «dom» de olhar, ver e registar aquilo que muitos de nós, por mais que olhemos, não conseguimos enxergar.

A prova disso são os prémios que já amealhou e as exposições em que já participou.

Aqui fica anunciada a próxima. Em Portalegre de 21 de Novembro a 11 de Dezembro.

sábado, novembro 07, 2009

Comunicação Social

Nem de propósito. Como se controla a Comunicação Social. Apenas um exemplo. clic para ver

sexta-feira, novembro 06, 2009

Notícias de aponte

O jornal cá da terra já saiu. Comprei-o, agora mesmo, na Celeste. Três textos merecem uma chamada de atenção: a) a entrevista do professor Sebastião* (uma análise nua e crua sobre o desaire do PSD nas autárquicas); b) a opinião de João Pedro Amante - candidato da CDU à CM de Ponte de Sor - sobre a influência dos media nas escolhas dos cidadãos; c) a opinião de Rui Barrento - candidato do PS à CM de Avis - a «anunciar» a vitória do PS para daqui a 4 anos.

Fora da política é de referir a reportagem sobre a iniciativa «Escritos e Escritores», organizada pelos Amigos do Concelho de Avis.

* a merecer um comentário mais substancial...

video

EXCLUSIVO

O próximo treinador do Sporting































E depois não querem que o homem se sinta perseguido...

Convenhamos que ele também se põe a jeito. Apesar das alegadas conversas com o Vara serem sobre a TVI (onde aliás o primeiro-ministro jurou a pés juntos que nunca tinha exercido qualquer tipo de pressão), a verdade é que numa edição da semana passada do jornal «i», já o seu nome aparecia citado no auto das buscas, por Lopes Barreira, um dos agora arguidos, que aduz ao seu conhecimento sobre o que se estaria a passar*.

* No dia 10 de Abril de 2009,pelas 11h03, lopes Barreira contactou telefoniamente Manuel Godinho dizendo-lhe que ia ter um almoço com Ana Paula Vitorino e acrescentando-lhe ter-lhe transmitido que o presidente do conselho de administração da REFER, E.P. constituía um entrave. Por fim, aduz ao conhecimento que Armando Vara, Mário LIno e José Sócrates têm do assunto.

quarta-feira, novembro 04, 2009













Elias, o sem abrigo (in, Jornal de Notícias. Anibal F. / R. Reimão)

segunda-feira, novembro 02, 2009

Operários da Delphi começaram a receber as cartas de despedimento.

ler aqui
O Programa de Governo e Avis

É hoje entregue, na Assembleia da República, o Programa do Governo para a próxima legislatura. Seguir-se-à, lá mais para a frente, a apresentação, discussão e votação do Orçamento de Estado, este sim, mais importante para o futuro imediato de todos nós.

No entanto, haverá desde já um ponto em que Avis, pode acalentar algumas expectativas: trata-se de ver o que prevê o Programa de Governo no que à Cultura diz respeito, e, particularmente, naquilo que tem a ver com a recuperação do património edificado, assunto da responsbilidade do Igespar.

Se houver uma manifestação de intenções e uma mudança de atitude no que estes casos diz respeito, pode ser que a nova ministra - Gabriela Canavilhas - se lembre do estado miserável em que se encontram as muralhas e alguns edifícios no seu interior e que são da responsabilidade do instituto que tutela e se empenhe pessoalmente na sua reabilitação.

Se tal não contecer não será, certamente, por desconhecimento. Esperemos que por uma vez, santos da casa façam milagres...

quinta-feira, outubro 29, 2009

terça-feira, outubro 27, 2009

DELPHI

A verdade é que nos próximos 4 anos não vai haver eleições...
24 . 24 . 24

Existem novas imagens no 24.24.24

Passem por lá é deixem os vossos comentários às fotos expostas.

sábado, outubro 24, 2009
























Bom dia, senhora ministra...

Nasceu nos Açores, mas está ligada ao Alentejo pelo casamento. Tem uma casa de fim-de-semana em Avis, e provavelmente agora, será vista mais amiúde por estas bandas.

Grabiela Canavilhas distinguiu-se como pianista, mas nos últimos anos deu nas vistas por desempenhar tarefas muito menos melodiosas: na sequência do descalabro existente na Orquestra Metropolitana de Lisboa, foi chamada a pôr a casa em ordem e, pelos vistos, até consegiu; depois disso, o apelo da terra fê-la aceitar o cargo de Directora Regional de Cultura no Executivo açoreano liderado pelo socialista Carlos César.

Sete meses após ter tomado posse em Ponta Delgada, José Sócrates «requisitou-a» para prestar serviço ao mais alto nível como ministra da Cultura do seu Governo minoritário. É uma das cinco mulheres que integram o Conselho de Ministros e um dos oito «independentes».

Se a sua permanência nos Açores a impediu, nos últimos tempos, de vir regularmente a Avis, certamente que o regresso a Lisboa lhe irá proporcionar mais fins-de-semana no recato do Alentejo.

segunda-feira, outubro 19, 2009

Ranking de Escolas

Estes dados já têm uns dias, mas como não os vi comentados na blogosfera resolvi «postálos» aqui:

A Escola Mestre de Avis aparece colocada, no que diz respeito aos exames do 9º ano, no lugar número 425 entre os 1292 estabelecimentos de ensino - públicos e privados - onde eles se realizaram.

Digamos que os 46 alunos que fizeram as provas até nem ficaram mal classificados, visto estarem situados no primeiro terço da tabela.

Em relação ao Distrito de Portalegre, a Escola mais bem colocada é Marvão (14 alunos / 81º) seguida da Cristovão Falcão, de Portalegre (160 alunos / 146º) e de Castelo de Vide (25 alunos / 405º). A Mestre de Avis aparece logo a seguir com, como já escrevemos, 46 alunos e no 425º lugar.

Abaixo do lugar 1200 aparecem três escola do Norte Alentejo: EB2+3 de Elvas nº2 (109 alunos / 1271); EB2+3 de João Pedro de Andrade, em Ponte de Sor (42 alunos / 1264) e EB de Vila Boim (92 alunos / 1260).

sexta-feira, outubro 16, 2009

Baptista-Bastos e o «Prós e Contras»

«Ouvi, na segunda-feira, com surpresa e nojo, designarem-se, uns e outros, por «colegas». Quando entrei nos jornais ensinaram-me o seguinte: «Jornalistas são camaradas e tratam-se sempre por tu. Colegas são as putas». Ficou-me para sempre.»

quarta-feira, outubro 14, 2009

Uma achega para o trabalho do José Armando que pode ser visto aqui

Não haverá uma leitura séria dos resultados eleitorais sem se perceber a importância dos votos que «faltaram» em 2009 quando comparados com 2009 (-119).

Partindo do princípio que os eleitores tem comportamentos idênticos, seja qual for a sua área política (e este é um dos métodos geralmente aceites por quem faz estes estudos), este valor tem de ser repartido pelas forças em compita, tendo em conta a percentagem que vieram a alcançar.

No caso, 53,9% para a CDU (+-52); 33,5% para o PS (+-28); 8,6% para o PSD (+-7). O resto vai para os brancos e nulos que também contam.

Logo, aos resultados, positivos e negativos, dos partido há que «tirar» os respectivos valores: CDU perde «efectivamente» 122 votos (174 - 52); o PS ganha «efectivamente» 208 (180 + 28); o PSD perde «efectivamente» 120 (127 - 7).

A soma das perdas da CDU e do PSD excedem em 34 votos aquilo que o PS acrecentou à sua votação. Este excesso, foi para os brancos, nulos ou abstenção.

No entanto, os votos perdidos pela CDU e pelo PSD tem valores diferentes tendo em conta a diferença de score atingido por ambos em 2005, respectivamente, 1821 e 390.

terça-feira, outubro 13, 2009



Actualização e informação útil: Todos os números aqui citados referem-se às votações para a Câmara Muncipal (excepto, claro, a referência à Freguesia do Alcórrego). Não há, por isso, qualquer «mistura de órgãos»...

Quanto à transferência de votos de umas forças para outras, e ao número de eleitores, apenas apresento números. Cada um tem o direito de fazer a análise que quiser. Ou souber.


Ganhar perdendo e perder ganhando

Ninguém gosta de perder. Aliás, o costume em noite de eleições é toda a gente reclamar vitória. No entanto, não é esse o caso em Avis, ao contrário do que alguns comentários possam tentar fazer crer.

Vamos a números:

A CDU é o partido mais votado (1647) obtendo «só» mais 359 votos que o PS (1025) e o PSD (263) juntos;

Embora perdendo um vereador - por cerca de 100 votos - mantém a maioria absoluta;

Volta a vencer nas oito freguesias do concelho com maiorias absolutas;

Quem perdeu afinal ?

Desde logo o PSD. Tinha tido 390 votos em 2005 e, agora, perdeu cerca de um terço do seu eleitorado (263). Mas quem perde o que não tem...

E o PS, terá ganho ou perdido?

Sem dúvida que perdeu. Não conseguiu conquistar nenhuma das freguesias, mesmo aquelas onde a CDU se apresentou «fragilizada». Falo nomeadamente do Ervedal, cujo processo de constituição da lista foi no mínimo conturbado, e de Valongo, uma freguesia onde tudo podia acontecer, apesar do bom trabalho realizado pela actual Junta.

Mesmo no Alcórrego, onde, faça-se justiça, o cabeça de lista do PS, goza merecidamente de grande popularidade e a CDU tinha substituido o seu cabeça de lista por um jovem, a vantagem era tão grande que mesmo perdendo alguns votos (57 para ser exacto) foi suficiente para manter a maioria.

E a nível global limitou-se a «canibalizar» os votos do PSD, não conseguindo, mais uma vez, entrar no eleitorado comunista.

Votaram 3054 eleitores, menos 129 do que em 2005. A CDU obteve menos 174 votos, o PSD menos 127 e o PS somou mais 182. Acho que dá para perceber onde o PS foi «angariar» os seus.

Para além disso, como diz com graça um comentário no Desabafos, a CDU teve de lutar contra o apoio do Maranhão. É obra.

quarta-feira, outubro 07, 2009

É por amor, ou é por interesse?

Há gente que lida mal com a liberdade. Fala muito nela, mas quando aparece alguém que a usa para dizer o que pensa e não conseguem perceber porque é que esse alguém pensa o contrário de si, ficam baralhados e partem para o insulto gratuito e para a basófia sem graça.

No meu caso, não há razão para isso. Está tudo bem explicadinho no post que editei há dias. Se não perceberam, decerto que não foi por erros de ortografia ou gramaticais (fora alguma gralha que a todos acontece). A culpa, decerto, não é minha.

Aliás, não sou merecedor da atenção que me estão a dar. Não sou candidato e limito-me a exercer um direito que o 25 de Abril – lembram-se?!... – nos deu: liberdade de expressão.

Mas, para desdramatizar e porque acho que vem a propósito, posso contar aquela anedota de dois amigos que se encontram passado muitos anos sem se verem e que resolvem ir beber uns copos para comemorar o reencontro.

No decorrer da conversa descobrem que ambos já eram casados. Logo um, provavelmente, mais comprometido que o outro, pergunta:

«Diz-me lá, casaste por amor, ou por interesse?»
«Com essa é que me lixaste… pensando bem, devo ter casado por amor, que a minha mulher não me interessa para nada».

Ora eu - no que diz respeito às próximas eleições autárquicas - sinto-me em igual situação: como não tenho interesses a defender nem na Câmara, nem em Associações, Fundações ou outras coisas tais, devo gostar da CDU por «amor/convicção» já que por interesse, não é de certeza.

Oxalá que quem se sente incomodado com a minha legítima tomada de posição pública, pudesse dizer o mesmo.

..........................

Ah! Estava-me a esquecer: vale mesmo a pena votar CDU

sábado, outubro 03, 2009

O método de hondt e outras contas

Não passa de um exercício, até porque todas as eleições são diferentes e a transferência de votos dos partidos que não concorrem às autárquicas não são lineares.

A título de curiosidade, se aplicarmos o sistema do método de hondt aos resultados das legislativas, em Avis, a CDU perderia o quarto vereador para o PSD.

CDU - 1215 – 607,5 – 405 – 303,7
PS - 718 – 359 – 239,3
PSD - 399

No entanto, os 236 votos obtidos pelo Bloco, os 107 do CDS, os 53 do MRPP (?), e os 13 do PPM… podem alterar, substancialmente, as contas.

Para além de que a CDU, historicamente, obtém melhores resultados nas autárquicas do que nas outras eleições.

A ter em conta também que a abstenção costuma ser muito inferior nas eleições locais.

Deixamos o mesmo exercício com os resultados das Europeias:

1129 – 564,5 – 376,3 – 282,2
396 - 198
266

Aqui a CDU mantém o seu quarto vereador

……………………………………………………………………………………………………………….

E quais são os desvios padrão de cada força entre em três eleições?

CDU – Euro 04 (1188) > Legislativas 05(1294) > Autárquicas 05 (1821)
PS – Euro 04 (658) > Legislativas 05 (1018) > Autárquicas 05 (843)
PSD – Euro 04 (332) > legislativas (426) > Autárquicas (390)

Nota:
A CDU é a única força que sobe sempre da primeira até à última eleição, nas seguintes percentagens: +8,9% > +40,7%
O PS sobe, habitualmente, nas legislativas mas desce nas autárquicas: +54% > - 17,2%
O PSD é o partido mais estável, mas mesmo assim com algumas oscilações: +28,3% > -8,5%

quinta-feira, outubro 01, 2009

















Há gente que nunca aprende...


As eleições legislativas foram no passado fim-de-semana e as autárquicas ainda não foram, mas há quem já esteja preocupado com as presidenciais que são daqui a uma ano.

E quem são eles? Segundo o I são os «soaristas» que só para não verem o Alegre em Belém até apoiam o Sampaio (ou o Gama...) seu antigo adversário dentro do PS.

Não é que eu esteja preocupado com o Alegre, que nisto de eleições «à segunda só cai quem quer», mas o que me parece mesmo é que com «tiros» destes, e sem a procura negociada de uma alternativa comum à esquerda, o que conseguem é preparar a cama para o Cavaco se deitar nela outra vez...

quarta-feira, setembro 30, 2009

O que disse Cavaco



Cavaco Silva, noutras ocasiões, tão parco em palavras, apressou-se, desta vez a esclarecer o povo sobre o «caso das escutas».

48 horas após os portugueses terem ficado a saber os resultados eleitorais que deram uma maioria relativa ao PS, veio, o Presidente da República, confirmar que, afinal, a «inventona» que os socialistas durante a campanha acusaram Belém e o PSD de terem montado, não é apenas uma: são duas.

A primeira surge com a notícia do Público a dar conta da desconfiança que havia no Palácio Presidencial em estarem a ser «escutados»; a segunda na divulgação do e-mail - escrito por um jornalista do jornal da Sonae - «plantado» no Diário de Notícias, alegadamente, para beneficiar o PS e «encostar o Presidente ao PSD e desviar as atenções dos temas que realmente importavam ao País».


Cá para mim estou esclarecido: estão bem uns para os outros.

segunda-feira, setembro 28, 2009

eleições legislativas '09

PS ................. 36,56% ...... 96 deputados
PSD .............. 29,09% ...... 78
CDS .............. 10,46% ...... 21
BE ................. 9,85% ........ 16
CDU .............. 7,88% ........ 15


Desta vez, aparentemente, se compararmos os resultados finais com a sondagem publicada abaixo, as diferenças não são significativas. No entanto, a confirmarem-se as previsões, hoje, o cenário político seria completamente diferente. Desde logo porque o PS e o BE, juntos, teriam maioria, coisa que não acontece e faz muita diferença...
Ao princípio da noite, os comentadores apontavam o BE como o Partido charneira do sistema político. Afinal, os partidos charneira são outros: o CDS, para uma solução à direita; e o PCP, para uma solução à esquerda. O resto é conversa.

Resultados no concelho de Avis

CDU ............ 1215 ........... (1294 em 2004)
PS ............... 718 ............ (1018)
PSD ............. 399 ............ (426)
BE ............... 236 ............ (138)
CDS ............. 107 ............ (74)



Começa hoje a campanha eleitoral para as Eleições Autárquicas. Por uma questão de lealdade para com os leitores do blog e em nome da transparência que se exige a quem pretende intervir na discussão dos problemas da comunidade, o maranhão declara o seu apoio à candidatura de Manuel Maria Coelho e à Coligação Democrática Unitária – PCP/PEV.Este apoio é ideológico, mas não só: resulta acima de tudo de um balanço pessoal do trabalho desenvolvido pela vereação cessante, incluindo o vereador da oposição.

Desde logo ideológico porque o autor desde espaço sempre se reclamou da Esquerda. Não da «esquerda democrática», ou da «esquerda moderna». Da Esquerda-Esquerda, a que não necessita de adjectivos para se justificar.

Da Esquerda que acredita que todos os homens nascem livres e iguais; da Esquerda que herdou e defende os valores da Revolução Francesa e do grito «Liberdade, Igualdade, Fraternidade»; da Esquerda que não precisa de ser «moderna» porque é dialética; da Esquerda que pode mudar de estratégia, mas não muda de princípios; da Esquerda que não defende o SNS na oposição e fecha hospitais e centros de saúde no governo; da Esquerda que defende a universalidade do ensino e não encerra escolas por razões economicistas; da Esquerda que luta e defende a Regionalização na oposição ou, porventura, no governo; Da Esquerda-Esquerda.

Nos últimos quatro anos - numa conjuntura particularmente difícil, não só pela crise internacional, mas também pelas políticas levadas a cabo pelo governo do PS contra o Poder Local – O município de Avis deu passos seguros na via de um desenvolvimento apoiado, essencialmente, na utilização sustentada dos recursos, na criatividade e inovação, na cultura, no património e no turismo.

No emprego substituiu-se a um Governo que despreza o interior e quem aí vive e trabalha criando, na medida do possível, postos de trabalho de forma a reduzir o impacto do desemprego no concelho.

Não se trata, como dizem alguns de forma maliciosa, de oferecer emprego em troca de votos. Trata-se de ser solidário para com aqueles que para além da força de trabalho nada mais lhes resta. As críticas deixam adivinhar o que aconteceria se a oposição fosse poder: mais desemprego, mais miséria, mais migração, menos pessoas, menos Avis.

A «fábrica do leite» fechou e, armados em virgens ofendidas, logo vozes se levantaram para acusar a Câmara de «nada ter feito para o impedir». Quem fez algo para a fechar foram os governos PS e PSD que subsidiaram, encorajaram e apoiaram a construção de uma nova unidade fabril no norte do país sem negociar a manutenção da Lactogal em Avis. Foi uma ajuda preciosa, digo eu...

No que à Saúde diz respeito, as novas regras de gestão hospitalar inventadas por este governo, também não nos favoreceram. Chegou-se ao cúmulo de ver o Centro de Saúde funcionar apenas com um médico...

Na ocasião, o líder da oposição avisense escreveu em a ponte uma das meias-verdades a que já estamos habituados: o município deixou fugir uma ambulância com médico e enfermeiro para Almodôvar. No entanto, a sua preocupação ficou-se por aí, já que em sede de Assembleia Municipal o PS/Avis votou contra uma moção a reclamar a presença de mais médicos. Ficámos esclarecidos. Os socialistas cá da terra metem os interesses partidários à frente dos interesses dos avisenses...

Mas terá andado o executivo apenas a tapar os buracos abertos pelo governo central? Não. A obra está aí para quem quiser ver. A primeira fase da requalificação da Cerca da Muralha foi concluída; o Jardim do Mestre está requalificado; o espaço do pelourinho e o Largo Serpa Pinto estão arranjados; a Cisterna Municipal foi inaugurada; a Arqueologia do concelho terá em breve um espaço próprio nas Muralhas do Convento: tudo isto e mais algumas coisas demonstram uma preocupação evidente em dinamizar o Centro Histórico da vila, núcleo urbano fundamental e cartão de visita do concelho.

A Feira Medieval, aproveita-se do espaço e já é um factor de atracção de muitos novos visitantes. Tem evoluído ao longos dos anos e, em 2009, provou que vale a pena fazer as coisas, com paciência, mas bem feitas.

A Feira Franca ganhou com a troca. Tem outra dimensão, dignidade e condições para quem lá trabalha ou para quem a visita; recuperou um espaço «devoluto» e, hoje, já não se ouvem os que puseram em causa a justeza da mudança.

Mas a intervenção no espaço urbano não se ficou pelo Centro Histórico. O Parque de Campismo foi requalificado; o Clube Náutico está de cara lavada; A EN244 tem nova iluminação, passeios, envolvente arbórea e ciclo-via; a ETAR foi desviada da entrada da povoação, a Escola junto aos correios foi requalificada...

O RAPID veio mexer com a vila durante uma semana e proporcionou aos jovens da terra contacto com novas realidades e formas de trabalhar na área da cultura.

Nas escolas, não foi preciso o Magalhães para que as nossas crianças soubessem o que era um computador pois a autarquia já as tinha devidamente equipado e, este ano, toda a rede escolar concelhia forneceu refeições aos alunos. Os pais dos alunos que frequentam o 1º ciclo do ensino básico foram aliviados do pagamento dos manuais escolares. Isto para não falar dos os tanques de aprendizagem e das ludotecas a funcionar em todas as freguesias do concelho.

Os espaços internet são uma realidade há muito presente e, no Centro Histórico, o município disponibiliza acesso grátis via wirless...

.........

Nem tudo começou nestes quatro anos e, certamente, nem tudo irá acabar nos próximos, mas uma coisa é certa, foram dados passos seguros rumo a um futuro com o qual concordo. Por estas e por outras, no próximo dia 11, voto CDU

...........

Em Portugal, por tradição – ao contrário de outros países como, por exemplo a Inglaterra ou os Estados Unidos – a imprensa não revela qualquer intenção de voto nos períodos eleitorais. No entanto, para mim, é um sinal de maturidade democrática e transparência a sugestão clara de uma indicação de voto. Pelo menos poupava-se o triste espectáculo com que o Diário de Notícias e o Público nos brindaram na última campanha....

sexta-feira, setembro 25, 2009

As sondagens valem o que valem e servem para o que servem.

Na minha opinião valem pouco, mas servem para condicionar o voto dos eleitores. A criação de expectativas é um expediente há muito utilizado em várias actividades, desde o marketing, à publicidade, passando pelo futebol e, claro está, pela política.

Perante uma «realidade futura» que nos é apresentada, somos levados – ou não – a intervir de forma diferente daquela que tomaríamos se não tivéssemos essa dita informação.

Mas vejamos um caso recente: a sondagem da Marktest nas vésperas das últimas eleições europeias. (entre parênteses os resultados finais)

PS - 36% .................... (26,5)
PSD - 31,9% ............... (31,7)
BE - 10,1 % ................ (10,7)
CDU - 9% ................... (10,6)
CDS - 6,1% ................ (8,3)

Como se pode verificar o grande vencedor nas sondagens (na realidade virtual), foi o grande perdedor nas urnas.Acresce que CDU e CDS – vá-se lá saber porquê – são recorrentemente «prejudicados» na votação virtual, conseguindo habitualmente, resultados acima dos que lhe estão destinados.

***

Hoje, mais algumas «realidades virtuais» foram dadas à estampa. Ficam aqui para comparar com a realidade. Esta é da Católica. Que Deus os ajude a acertar...

PS – 38% .............. (+1,5%)
PSD – 30% .......... (+3%)
BE – 11% ............. (+1,5%)
CDS – 8% ............ (-2%)
CDU – 7% ........... (-1%)

quinta-feira, setembro 24, 2009

quarta-feira, setembro 16, 2009

24 24 24

O prometido é devido. Mesmo incompleto aqui fica o resultado do desafio lançado pelo maranhão.

É já num blog aqui ao lado (é só clicar)

sexta-feira, junho 12, 2009

24 / 24 / 24

A pedido de várias famílias (incluindo a minha) e porque, efectivamente, esta semana não existiu, impõe-se o alargamento do prazo de entrega das fotos por mais uma semana.

Lembro os que já entregaram que ainda podem mudar de ideias se assim o desejarem e, aqueles que não entregaram, que se não cumprirem desta vez o prazo estabelecido serão vítimas do monstro da barragem do Maranhão que, como toda a gente sabe, faz parecer o de «Loch Ness» um menino de coro.

Bem hajam e bom fim-de-semana

Como omaranhão.blogspot.com é bem mandado, aqui fica a notícia da Festa da Saúde que se realiza no próximo dia 16, na Escola Básica 2,3 Mestre de Avis.


Do programa constam várias actividades desportivas (Volei, Ténis de Mesa, BTT, Tiro ao Alvo, etc), de dança (Hip-hop, internacionais, kuduro, etc) para além de outras nas áreas do ambiente, dos afectos e educação sexual, da segurança, da alimentação e da música.

terça-feira, junho 09, 2009

É sempre bom lembrar que este blog tem Estatuto Editorial

Este blog é anónimo (pouco...), mas não é apócrifo;
Este blog é maior e vacinado;
Este blog reclama-se da tradição anarco-sindicalista;
Este blog é isento q.b., mas reflecte sempre a opinião do seu autor;
Este blog é do Benfica;
Este blog tem vários problemas: o maior de todos com os poderes. E, quanto mais pequenos são os poderes, maiores são os problemas;
Este blog não obriga ninguém a lê-lo;
Este blog não responde perante nada nem ninguém, a não ser perante a consciência do seu autor (que, como se sabe, é pouca);
Este blog é como toda a gente: às vezes também se farta... AF
As «Europeias» já são passado. É tempo de voltar a olhar para o nosso umbigo. Não tarda nada temos aí as «Autárquicas» e as «Legislativas». O Maranhão promete estar atento aos próximos dois actos eleitorais...

























Resultados por freguesias (clic nas imagens para aumentar)










segunda-feira, junho 08, 2009


No concelho de Avis a CDU continua a ser a força política com mais expressão, tendo até melhorado a sua percentagem eleitoral.
Num escrutínio em que votaram menos 206 eleitores do que em 2004, a aliança liderada pelo PCP somou 1129 votos (menos 59) o que representa 51,74% (49,54% em 2004).
O PS foi severamente «castigado» tendo apenas recolhido 396 votos (658 em 2004) o que lhe confere 18,15% (27,44% em 2004).
A terceira força foi o PSD com 266 votos (12,19%) e o CDS quedou-se pelo quinto lugar com 71 (3,25%) votos.
Em 2004 estas duas forças políticas concorreram em coligação tendo obtido 332 votos (13,84%).
Quem mais subiu em número de votos e percentagem foi o BE que obteve 144 votos e 6,6% face aos 50 votos e 2,09% conseguidos em 2004.Os votos na foice e martelo do PCTP-MRPP mantiveram-se estáveis – 38 em 2004 / 32 em 2009, representando cerca de 1,5% do elitorado.

domingo, junho 07, 2009

As urnas abriram hoje com normalidade em todo o país à hora prevista, às 08:00, sendo a única excepção uma mesa de voto na Junta de Freguesia de Castanheira do Vouga (Águeda), de acordo com a Direcção Geral da Administração Interna (DGAI).

Contactado pela Lusa, o presidente da Junta de Freguesia de Castanheira de Vouga, Vítor Silva, confirmou o boicote às urnas, que se deve às dificuldades de acesso à Internet da freguesia.

sexta-feira, junho 05, 2009

Eurosondagem para o Expresso

PS - 36%
PSD - 31,9%
BE - 10,1 %
CDU - 9%
CDS - 6,1%

quinta-feira, junho 04, 2009



Mais uma para comparar...

Esta foi realizada pela Universidade Católica para o JN, DN, Antena 1 e RTP 1

Não passa na rádio, mas passa aqui!




Esta estória, para além deliciosa, podia-se ter passado com o M. Vale a pena passar pelo o blog onde eu a «surripiei»...



Bandeira vence Prémio Stuart de Tira Cómica

Por mais do que uma vez que os «bonecos» do Bandeira (e também do Luís Afonso) são aqui reproduzidos.

As razões são evidentes - para além de amigos que prezo, têm, de facto, muita graça.

Parabéns Bandeira

Sondagem do dia
(para comparar com os resultados finais...)

Realizado em plena campanha eleitoral, o barómetro Marktest (TSF/Diário Económico) mostra o PSD (32,5%) a recuperar terreno, voltando a valores próximos do mês de Abril, enquanto o PS tem vindo a descer (29,4%).

Em terceiro aparecem a par, CDU e Bloco de Esquerda que sobem de 7,1 para 8,9 por cento.

Já o CDS-PP cai pouco mais de um ponto, contando agora com 3,3 por cento de intenções de voto.

................................................

Se nos dermos ao trabalho de somar todos este valores atingiremos a cifra de 83.

Ou seja, faltam 17 por cento de votos.

Não sendo de acreditar que os outros partidos, apesar de serem muitos, no seu conjunto consigam mais do que meia-dúzia (6%) ainda faltam 11 por cento.

Onde é que eles andarão?!

Isto porque, como toda a gente sabe, para o Parlamento Europeu só há um círculo nacional e votos nulos ou em branco não contam para o apuramento final de deputados.

Ou seja, aqui não há voto útil, todos os votos contam. Os de Avis contam tanto como os de Lisboa. Ao contrário das eleições legislativas em que milhões de votos não contam, rigorosamente, para nada...

quarta-feira, junho 03, 2009

Desculpem os caríssimos, mas há dias em que não apetece fazer nada. Hoje é um deles. Deve ser aquela coisa do «direito à preguiça»... No entanto, prometo que nos próximos dias, tentarei não defraudar as expectativas dos meus (cada vez mais) numerosos leitores.

Isto tem que se lhe diga. Apesar de anarco-sindicalista existem meia-dúzia (não mais que isso..) de regras a cumprir, antes de escrever o que nos vem à veneta.

Deixemos passar este tempo em que olhamos para a Europa, para as atenções se virarem para Portugal e Avis. AF


Coisa que chegam por mail...
24 / 24 / 24

O Do Castelo tem razão. O melhor é relembrar as horas e os fotógrafos que o tempo urge...

00h às 01h – João Rato
01h às 02h – Jamtm
02h às 03h – Rui Moreno
03h às 04h – Aníbal Fernandes
04h às 05h – Miguel Canela
05h às 06h – Paulo Sacó
06h às 07h – Ana Martins
07h às 08h – Ana Balão
08h às 09h – Ana Grilo
09h às 10h – Miguel Varela
10h às 11h – Rute Reimão
11h às 12h – Jorge Nunes
12h às 13h – Sérgio Pereira
13h às 14h – Francisco Cordeiro
14h às 15h – Fernandino Lopes
15h às 16h – José Guilherme
16h às 17h – Paula Freire
17h às 18h – Jorge Traquinas
18h às 19h – Susana Delgadinho
19h às 20h – Rui Rodrigues
20h às 21h – Marta Alexandre
21h às 22h – João Pedro Amante
22h às 23h – Fernando Máximo
23h às 24h _ Robin Moncur

Já só faltam 11 dias...

terça-feira, junho 02, 2009

Adenda ao Estatuto Editorial

Este blog, por uma questão higiénica, não tem comentários. No entanto, tem email (omaranhao@iol.pt). Os mais resistentes sabem onde me podem encontrar, ao vivo e a cores;
Europeias

O amigo Do Castelo, num dos últimos postais publicados, chama a atenção, com toda a pertinência, para a forma pouco democrática como «alguns» dos chamados pequenos partidos são tratados pela comunicação social nos períodos eleitorais.

Sugere até que se dê uma vista de olhos à entrevista que a RTP2 fez à cabeça de lista do Partido Humanista Manuela Magno. Irá certamente desculpar-me, mas o texto carece de «background», no que a Avis diz respeito.

É que a Dr. Manuela Magno (ex-quase-candidata à Presidência da República) pode ser considerada, digamos assim, uma amiga de Avis: por três ocasiões aqui se deslocou para botar discurso sobre cidadania e, diz quem assistiu às «conferências» – eu infelizmente só assisti a uma... – a agora candidata não se saiu nada mal e conseguiu «agarrar» a plateia com o seu discurso anti-partidos.

É por isso que acho estranho – e já tive oportunidade de lho dizer de viva voz - que se candidate por um. Lá terá as suas razões, mas eu fico com a minha...

Quanto à comunicação social tem toda a razão o Do Castelo. Ou quase. Isto porque nem todos os pequenos partidos são iguais. Uns são mais iguais que outros. Ainda me lembro do aparecimento do BE (vulgo Bloco de Esquerda) que na sua génese era apenas o somatório de vários pequenos grupúsculos (LCI / UDP / FER / PCR) e que foi levado ao colo por jornais, rádios, televisões, opinion-makers e outros quejandos, sabe-se lá com que objectivos. Alguns deles, suspeito, pouco democráticos e confessáveis...

Hoje, refastelados em S. Bento e em Bruxelas, os ex-trosquistas, ex-maoistas, ex-pro-albânia, e outros ex que agora já nem me lembro, em tempos herdeiros do pior poder popular só aparecem na rua, junto das pessoas e de quem trabalha, em alturas eleitorais. Percebe-se porquê: ao longo do ano a «boa imprensa» de que desfrutam permite-lhes não fazer o trabalho político junto das massas, o que seria natural se tivessem quadros implantados em todo o país e não fosse um partido inventado pela comunicação social.

Por essas e por outras é que já ninguém se lembra de onde vieram e o que defenderam. Hoje são a «Esquerda Chic» que tanto jeito dá à direita e ao poder.

segunda-feira, junho 01, 2009

Segundo fontes geralmente bem informadas a Dr. Margarida Neves foi eleita directora do AVEC de Avis com um total de 11 votos. O outro candidato, o dr. Simão Velez manteve os votos da primeira votação (8). Os votos em branco atingiram a cifra de 9,5 por cento...
Pensamento do dia

Não basta pensar que tenho razão. Preciso convencer os outros de que a tenho. AF
A partir de hoje este blog tem Estatuto Editorial

Este blog é anónimo (pouco...), mas não é apócrifo;
Este blog é maior e vacinado;
Este blog reclama-se da tradição anarco-sindicalista;
Este blog é isento q.b., mas reflecte sempre a opinião do seu autor;
Este blog é do Benfica;
Este blog tem vários problemas: o maior de todos com os poderes. E, quanto mais pequenos são os poderes, maiores são os problemas...
Este blog não obriga ninguém a lê-lo;
Este blog não responde perante nada nem ninguém, a não ser perante a consciência do seu autor (que, como se sabe, é pouca);
Este blog é como toda a gente: às vezes também se farta... AF

sexta-feira, maio 29, 2009

Eleição adiada...

A falta de diálogo e as posições intransigentes de ambos os lados da barricada, não permitiram, mais uma vez, que nenhum dos dois candidatos fosse eleito.

Referimo-nos, claro, ao Provedor de Justiça...
Branco é ...

Já é sabido o resultado das eleições no Agrupamento Vertical de Escolas do Concelho de Avis.

No meu fraco entender o que de mais relevante ressalta da votação é a existência de 3 votos em branco. Não que esses (não) votos, sejam ilegais, mas porque quem aceita fazer parte de um «colégio eleitoral», o integra exactamente para isso: votar. E votar é escolher, não é «não escolher».

Dirão uns que a «opinião» de um voto em branco é tão evidente como a de um voto expresso. Admito, mas também significa a recusa em assumir qualquer tipo responsabilidade.

Mesmo um voto num mal menor (seja ele qual for) responsabiliza quem escolhe e quem é escolhido; um voto em branco vale tanto como nada. E em 21, três nadas são nadas a mais...

quarta-feira, maio 27, 2009

Eleições no Agrupamento de Escolas de Avis



Amanhã, pela primeira vez, o Conselho Geral Escolar (ou lá como se chama...) irá escolher, entre dois candidatos, aquele que ficará à frente dos destinos da escola.

Os candidatos são sobejamente conhecidos: a dra. Margarida - actual presidente do Conselho Executivo (ou lá como se chama...); e Simão Velez - professor do quadro e filho da terra.

Os votantes são 21. Determina a lei que sempre que estejam em causa eleições de pessoas que o voto seja secreto. Eu, para que não subsistam dúvidas, acho bem.

No entanto, os votantes não são obrigados a manter secreto o seu voto e, em alguns casos, até já o anunciaram o que, mo meu entender, só demonstra maturidade democrática pela parte de quem o fez e contribuiu para a transparência de todo o processo.

Mas vejamos: quem é que compõe o tal colégiuo eleitoral? A saber: 7 professores (eleitos pelos seus pares); 5 pais (em representação da APEEECA); 2 assistentes educativos (eleitos pelos seus pares); 1 aluno (eleito pelos alunos maiores); 3 representantes do Município; 3 elementos da comunidade (Centro de Saúde; Avizaqua; Amigos de Aviz).



Amanhã, pela tardinha, saberemos quem foi eleito. Seja qual for o resultado esperemos que a ESCOLA saia a ganhar.

O Caso BPN visto pelos cartoons do Público e do JN

sábado, maio 23, 2009

Para quem não viu a Manuel Moura Guedes e o Mourinho Pinto é só clicar aqui...

Biografia do Bastonário publicada no DN

Esteve quase a inscrever-se na Academia Militar, para ser piloto-aviador. António Marinho e Pinto estava então a concluir o ensino secundário em Vila Real (no seu concelho natal, Amarante, o ensino não ia além do 5.ºano, equivalente ao actual 9.º ano de escolaridade), mas acabou por optar pelo Direito e por ir para Coimbra. O envol- vimento, no início da década de 1970, nas lutas estudantis e no combate contra a guerra colonial e o Estado Novo e pela liberdade adiaram-lhe, no entanto, o curso. Depois do 25 de Abril, foi o jornalismo a afastá-lo, de novo, da licenciatura e da advocacia.
Um dia, recebeu uma carta de despedimento da agência noticiosa ANOP e, compreendendo a vulnerabilidade do emprego, a facilidade com que, "sem justa causa, poderia ficar sem trabalho", decidiu concluir o curso. Para ser advogado e poder trabalhar por conta própria - este, de resto, um dos vários encantos da advocacia. Melhor, encanto desta e da sua outra profissão, o jornalismo, que, mais tarde, chegaria também a exerceu como free-lancer. Foi nessa altura, quando foi jornalista em regime livre, que, não duvida, melhor exerceu a profissão. Esta é, sustenta, a melhor forma de o jornalismo se libertar da teia de interesses a que está, cada vez mais, submetido.
A decisão de concluir Direito recuperou o bom estudante, mas, sobretudo, transformou radicalmente muitos dos seus hábitos e grande parte da sua vida. Marinho (como é tratado pelos amigos e continua a ser mais conhecido em Coimbra) passou, então, a deitar-se cedo e a levantar-se pelas cinco da madrugada - muito antes, portanto, da hora a que, frequentemente, ia, já com o "pequeno-almoço" tomado, dormir (ainda hoje, "às vezes, tenho saudades desse tempo", admite). Mas é ao romper do dia que "o trabalho rende mais", justifica. E a noite coimbrã perdeu um nome importante, uma quase referência da mítica boémia estudantil. O estudante e jornalista deixou de ser visto, à noite, nos cafés da Praça da República, nas repúblicas estudantis, nos bares da alta, enfim, pelos caminhos e paragens dos amantes da vida nocturna coimbrã.
A noite de Coimbra perdeu um passageiro. A Academia e a cidade continuaram, apesar disso, a contar com o combatente, o cidadão activo, o empenhado defensor de causas, a voz polémica. Tanto como antes do seu eclipse nocturno e tanto como depois de concluir o curso e abrir escritório de advogado. E mais, contudo, que nos últimos tempos. "Agora não tenho intervenção política, mas sim cívica." Com a frontalidade, coragem, irreverência, determinação e polémica de sempre. E mantendo, por isso e por vezes, a fama de ter mau feitio.
"As verdades doem", frequentemente, mas dizê-las "não é ter mau feitio", reage. "Digo o que tenho a dizer e sempre pela frente, nunca por trás, sempre que critico faço-o com frontalidade e lealdade." Confundir isso com mau feitio é injusto, observa, lembrando serem muitos e bons os amigos que tem. Mas injusto seria, igualmente, ignorar o lado simples, afável e solidário de Marinho. De todo o modo, essa maneira de ser e estar tem-lhe valido alguns inimigos, reconhece. Mas "tanto uns como outros são muito intensos e, como dizia Nietzsche, os verdadeiros inimigos são tão necessários como os verdadeiros amigos".
Verdadeiros amigos e inimigos que Marinho tem, por exemplo, em todos os partidos políticos. "Se vivesse na Tocha votava no CDS/PP", garante, sem deixar de lembrar que sempre foi e é de esquerda, que a sua "matriz ideológica assenta nos valores da esquerda". De todo o modo, mais importante que os partidos são as pessoas e os projectos de que elas são portadoras, defende, para explicar o apoio que daria ao centrista Júlio Oliveira, se vivesse na Tocha, terra onde este seu amigo é, há muitos anos, presidente da Junta de Freguesia.
António Marinho vive em Coimbra, não é cidadão-eleitor da Tocha e nunca votou no CDS/PP. E, tem apoiado, "ultimamente, nos sucessivos actos eleitorais, o Bloco de Esquerda". Antes vinha dividindo a sua simpatia por socialistas e comunistas, em função das situações e, sobretudo, dos candidatos. "Hoje, valorizo mais as pessoas que os projectos políticos de que os partidos se dizem portadores." Mas mesmo quando não desvalorizava tanto os partidos políticos, o estudante, professor, jornalista e advogado se deixou seduzir por eles. "Nunca fui militante de nenhum partido", ressalvando a ligação que, em 1973, manteve com a Juventude Comunista.
Não milita em partidos, mas foi e é militante de causas. Envolveu-se nas lutas estudantis, integrou o Movimento Democrático Estudantil e foi dirigente da Associação Académica de Coimbra (altura em que foi preso pela PIDE/DGS), e, depois do 25 de Abril, fez parte da Comissão Nacional para a Liberdade de Informação e da Secção Portuguesa da Amnistia Internacional, foi dirigente do Sindicato dos Jornalistas e membro do Conselho de Redacção do Expresso e do Conselho Geral da Ordem dos Advogados. Presidiu à Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados e acaba de ser eleito seu bastonário (cargo a que também se candidatou em 2004).
António Marinho e Pinto ainda não tomou posse de bastonário dos advogados (isso acontecerá na próxima terça-feira, dia 8), mas já teve de ouvir críticas. "Às vezes temos de ouvir o que não gostamos e não merecemos", mas "reagir a quente nem sempre é a melhor forma de combater as injustiças", diz, explicando o seu silêncio, para o qual também podem existir outras justificações. "Quando me atacam pessoalmente, não vou a jogo", quando estão em causa "ideias, bato- -me por elas".

sexta-feira, maio 15, 2009

24 / 24 / 24

Ora bem !

Ontem, quinta-feira, 14 de Maio, procedeu-se à realização do sorteio das horas na Casa de Cultura.Estiveram presentes 1/6 dos participantes e o resultado foi o seguinte:

00h às 01h – João Rato

01h às 02h – Jamtm

02h às 03h – Rui Moreno

03h às 04h – Aníbal Fernandes

04h às 05h – Miguel Canela0

5h às 06h – Paulo Sacó

06h às 07h – Ana Martins

07h às 08h – Ana Balão

08h às 09h – Ana Grilo

09h às 10h – Miguel Varela

10h às 11h – Rute Reimão

11h às 12 – Jorge Nunes

12h às 13 – Sérgio Pereira

13h às 14h – Francisco Cordeiro

14h às 15h – Fernandino Lopes

15h às 16h – José Guilherme

16h às 17h – Paula Freire

17h às 18h – Jorge Traquinas

18h às 19h – Susana Delgadinho

19h às 20h – Rui Rodrigues

20h às 21h – Marta Alexandre

21h às 22h – João Pedro Amante

22h às 23h – Fernando Máximo

23h às 24h _ Robin Moncur

De hoje, 15 de Maio, até dia 29, está aberto o período para trocas de horários.Todas as trocas que forem acordadas, agradece-se a comunicação para o mail maranhao@iol.pt.Depois, de 30 de Maio a 14 de Junho, cada um pode fazer as suas fotos na hora que lhe foi sorteada.Não existe um tema, mas a ideia é, no conjunto, conseguir dar uma imagem da vida do concelho de Avis durante as 24 horas. Cabem todo o tipo de fotos: retratos, paisagem, fotos artísticas ou de reportagem, etc, mas sempre com a intenção de cada momento registado dar a entender uma determinada altura do dia.

terça-feira, maio 12, 2009

24 / 24 / 24
Sorteio das horas


Conforme foi prometido, no próximo dia 14 (quinta-feira), pelas 17:00 horas, será efectuado o sorteio das horas pelos 24 fotógrafos que alinharam neste projecto.

A sessão servirá, ainda, para prestar os esclarecimentos sobre o projecto e marcar o período (16 dias de sábado a domingo, incluindo três fins-de-semana) em que as fotos devem ser feitas.

Os que não puderem estar presentes, serão avisados por mail quer do resultado do sorteio, quer das datas decididas, bem como de outras informações que se julguem úteis.
..........

Informa-se que a seguir ao sorteio, terá lugar mais uma sessão do Café Com Letras, organizado pela ACA, e que esta semana será protagonizada por alunos caboverdeanos, da EPAC. Quem sabe se não é uma oportunidade para se ouvirem alguns ritmos quentes daquelas ilhas do Atlântico... «Sodade, sodade, sodade da nha terra di s. Nicolau»...

sexta-feira, maio 08, 2009

Uma bola de papel com influência no resultado...

Já não bastavam os árbitros comprados que, agora, inventaram as bolas de papel para prejudicar os adversários. Vale a pena ver como é que o Werder Bremen chegou à final da Taça UEFA. Como diz o José Manuel Fernandes deu canto, golo, e acesso à final...

http://is.gd/xHwE (clicar aqui para ver vídeo)

quinta-feira, maio 07, 2009

24/24/24

Ficaram hoje concluidas as inscrições.

Na próxima semana, num dia a divulgar segunda-feira, far-se-à o sorteio na Casa da Cultura, por volta das 17 horas.

Os que não puderem estar presentes serão avisados por mail dos horários sorteados para poderem propor trocas.

quarta-feira, maio 06, 2009



Cartoons «Maizena»
Não é tão raro como isso, o «Bartoon» (Luís Afonso, PÚBLICO) e o Elias (Anibal F. / Rute R., JN) versarem o mesmo assunto...

quarta-feira, abril 29, 2009




Avis é notícia pelos piores (e infelizes) motivos (clicar no título para ler)

Por força das circunstâncias, apenas hoje tive conhecimento do trágico acontecimento relatado na notícia.

Triste sociedade - e quem dela faz parte - que não consegue ver aquilo que está mesmo à frente dos olhos.

Todos temos culpa. Mas há quem tenha mais culpa que eu...


É já amanhã, domingo 30, e de certeza que vale a pena ir ver.
(clicar na imagem para aumentar)

quinta-feira, abril 23, 2009

24/24/24

A coisa está-se a compor. Mais dois «bate-chapas» e estes são dos bons...

RM (este também é outro)
JT
24/24/24

Apesar de lesionado – e como tal não poder ajudar o Glorioso a chegar ao primeiro lugar... – nada me impede de dar notícias sobre o projecto 24/24/24.

Eis (ainda em iniciais) a lista de inscritos que ainda tem alguns lugares em aberto:

AF
RR
MC
JA
RR (este é outro...)
AM
FC
AG
JN
JPA
JR
SP
RM
PF
FM
FL
MV
RM (também é outro...)

Como vêem só faltam seis para fazer o sorteio e, pelas iniciais, dá para ver quem é que anda distraído.

Vamos lá a mandar o mail para isto se fazer.

saudações fotográficas.


Vitorino Matono capa do Diário do Sul

Na edição de hoje do Diário do Sul, Vitorino Matono, natural do Alcórrego e acordeonista de créditos firmados, bem como o professor titular da sua escola lisboeta Joaquim Raposo, do Ciborro, são o tema de destaque na capa.

No interior, uma página inteira conta pela voz do professor Joaquim algumas histórias da escola.
24 / 24 / 24



Cabe aqui um pedido de desculpas, por não ter dado informações acerca do «projecto 24/24/24» com mais regularidade, mas acho que um calcanhar partido e o respectivo pé em gesso são o suficiente para ser desculpado...



Passemos a coisas sérias:



a) já se inscreveram 17 «artistas»



b) ainda estou à espera que alguns que de viva voz disseram que «alinhavam« se inscrevam (não digo o nome por razões óbvias...)



c) o próximo passo - assim que tiver os 24 nomes - é marcar o dia do sorteio das horas, na Casa da Cultura a uma hora que seja conveniente para a maioria (17/18 horas ?)

d) avisem os distraídos...

quarta-feira, abril 15, 2009

24 / 24 / 24

actualizando (domingo)

Já se inscreveram 12 fotógrafos, mas ainda faltam alguns dos habitués... vamos lá a enviar o mail para se fazer o sorteio que será num espaço público de que oportunamente darei conta, juntamente com o dia e a hora.

Primeiras inscrições

Durante esta noite foram recebidas seis inscrições, e alguns pedidos de esclarecimento.

Ao longo do dia irei fazendo as respectivas actualizações.

terça-feira, abril 14, 2009

24 horas na vida do concelho de Avis

24 horas
24 fotógrafos
24 fotos


O Maranhão lança o desafio a 24 fotógrafos de Avis para a realização de um trabalho que reflicta – necessariamente de forma parcelar – a vida do nosso concelho durante um dia.

O objectivo é produzir:

i) uma exposição no ciber-espaço;

ii) uma subsequente mostra em papel;

iii) a edição em catálogo caso a qualidade do trabalho o venha a justificar e os apoios se revelem.


As regras são simples

a) as inscrições estão abertas a quem queira participar, desde que viva ou trabalhe no concelho de Avis;

b) os primeiros 24 fotógrafos que enviem um mail (maranhao@iol.pt) a manifestar a sua vontade em participar, desde que cumpram os requisistos da alínea a) ficarão inscritos e receberão a confirmação por mail;

c) após reunidos os 24 nomes, serão sorteados entre eles, as 24 horas correspondentes a um dia e o resultado será publicado neste blog;

d) cada fotógrafo compromete-se enviar uma das fotografias, de uma qualquer freguesia, actividade ou local, obtidas no período de 60 minutos que lhe for atribuído;

e) é permitia a troca de períodos entre os participantes;

f) as fotos terão de ser feitas durante uma semana, em data a designar depois do sorteio;

g) os trabalhos podem ser obtidos com qualquer tipo de máquinas, e é permitido enquadramentos e tratamento de imagem, mas têm de ser enviados em formato digital;

h) quer para a divulgação na net, apresentação em exposição ou publicação em catálogo, os participantes cedem gartuitamente os seus direitos;

i) para qualquer outro efeito os autores podem fazer valer os seus direitos segundo a legislação em vigor;

j) não serão atribuídos prémios.


100 anos do nascimento de Soeiro Pereira Gomes

Hoje, 14 de Abril de 2009, assinala-se o centenário do escritor Soeiro Pereira Gomes, autor do romance «Esteiros» dedicado «aos filhos dos homens que nunca foram meninos».

Soeiro Pereira Gomes é um dos maiores escritores portugueses da corrente neo-realista. Para além do livro já citado – que em tempos fazia parte das leituras obrigatórias no Ensino Secundário – escreveu um que para mim, se tivesse tempo de o acabar, seria a sua obra prima: Engrenagem.

Convém lembrar que Soeiro para além de intelectual empenhado, era militante clandestino do PCP, e por essa razão quando adoeceu foi impedido de receber tratamento médico, vindo a falecer a 5 de Dezembro de 1949, com apenas 40 anos.

À sua bibliografia há ainda a juntar um livro de pequenas histórias intitulado «Contos Vermelhos». Como curiosidade assinale-se que a capa da primeira edição de «Esteiros» foi ilustrada por Álvaro Cunhal.
Quem descobriu o prazer da leitura – como é o meu caso – lendo as estórias do Gineto, Gaitinhas, Malesso e Maquineta «sujeitos à dureza do trabalho quando o conseguem arranjar, vadiando ou roubando para comer durante o resto do tempo», não pode deixar passar em branco esta data.

sexta-feira, abril 10, 2009

Morreu o Ti Pexirra. O pai do Fava foi a par de outros «mais velhos» que conheci por estas bandas, a forma de me inteirar como era a vida em Avis e arredores em tempos que já lá vão.

Foram muitas as horas que passei a ouvi-lo contar estórias de gloriosas caçadas aos pombos, da construção da barragem ou do Matono que fazia décimas «com uma extraordinária facilidade».

Era, aliás, o «guardião-mor» da obra poética deste alcarroguense. Como a memória já ia falhando deu-se ao trabalho de passar à mão, numa caligrafia que já não se usa, todos os versos dele que ainda se lembrava, preservando-os assim para os vindouros.

Morreu ontem, em Avis. Mas, há muito que uma parte de si já cá não estava.

Ao Fava e família aquele abraço.

O funeral realiza-se hoje, sexta-feira, às 17:00 horas para o cemitério do Alcórrego.

domingo, abril 05, 2009







Maratona fotográfica (com telefone...)
Como o Do Castelo me «denunciou» não vale a pena fazer caixinha com a minha (fraca) participação na Maratona Fotográfica.

Para além de mais, eu não passei pelo drama da escolha das fotos, até porque só tirei seis, e quem de seis tira duas, ficam quatro...

As quatro de cima: a) sombra e sol; b) sombrinhas; c) obras; d) obra(a)



sexta-feira, abril 03, 2009

Este blog anda a ficar um bocado parvo...

Só agora é que me dei conta que os últimos posts têm sido todos sobre futebol...



Coisas que chegam por mail


Já foi decidido pelo Tribunal, a polémica questão sobre a Taça daLiga.

À semelhança do caso "Esmeralda", o Tribunal decidiu que o Sportingpode visitar a Taça: às Segundas, Quartas e Sextas, tendo ainda um Fim de Semana de 15 em 15 dias.


quinta-feira, abril 02, 2009



Coisas que chegam pelo mail

Não bloguei esta imagem no dia 1, para não pensarem que era mentira. Mas, a verdade, é que até o Pinto da Costa é do Benfica... ou, pelo menos, foi.

segunda-feira, março 23, 2009

Fair-play

Não é segredo para ninguém que este blog é, oficial e oficiosamente, do Benfica.

E que, no que a estes assunto se trata, aqui não há lugar para bom senso, ou discursos de apaziguamento.

Dito isto, só tenho pena que o Benfica não tenha conseguido ganhar por dois um, com o segundo tento a ser marcado em fora-de-jogo, pelo Mantorras e com a mão.

sábado, março 21, 2009

video

Emissão especial WtvM

antevisão do Benfica-Sporting

A reportagem do WtvM deslocou-se à Moagem - vulgo «Casa do Sporting em Avis - horas antes do dérbi começar, para saber como iam os ânimos do adeptos.

Infelizmente, só conseguimos declarações de um portista e de um benfiquista. Os «lagartos», presentes no local em grande número, recusaram prestar declarações ao nosso canal, apenas dizendo em «off» que «prognósticos só no fim do jogo»...

quinta-feira, março 19, 2009

AVISeSTÓRIAS

Ontem as «reportagem» abaixo, sairam sem legendas. Um erro que importa emendar.

A de cima diz respeito a Jorge Serafim, um dos mais conceituados contadores de estórias português; a de baixo documenta a presnça de Miguel Horta, um animador cultural com muito trabalho desenvolvido, essencialmente, no bairro da Cova da Moura.

Aliás, o facto de dominar o criolo permitiu um momento de verdadeira multiculturalidade, com os alunos caboverdianos que frequentam a Escola Abreu Callado, a participarem de forma activa na sessão, e, desta forma, a matarem a sodade de casa