segunda-feira, março 23, 2009

Fair-play

Não é segredo para ninguém que este blog é, oficial e oficiosamente, do Benfica.

E que, no que a estes assunto se trata, aqui não há lugar para bom senso, ou discursos de apaziguamento.

Dito isto, só tenho pena que o Benfica não tenha conseguido ganhar por dois um, com o segundo tento a ser marcado em fora-de-jogo, pelo Mantorras e com a mão.

sábado, março 21, 2009

video

Emissão especial WtvM

antevisão do Benfica-Sporting

A reportagem do WtvM deslocou-se à Moagem - vulgo «Casa do Sporting em Avis - horas antes do dérbi começar, para saber como iam os ânimos do adeptos.

Infelizmente, só conseguimos declarações de um portista e de um benfiquista. Os «lagartos», presentes no local em grande número, recusaram prestar declarações ao nosso canal, apenas dizendo em «off» que «prognósticos só no fim do jogo»...

quinta-feira, março 19, 2009

AVISeSTÓRIAS

Ontem as «reportagem» abaixo, sairam sem legendas. Um erro que importa emendar.

A de cima diz respeito a Jorge Serafim, um dos mais conceituados contadores de estórias português; a de baixo documenta a presnça de Miguel Horta, um animador cultural com muito trabalho desenvolvido, essencialmente, no bairro da Cova da Moura.

Aliás, o facto de dominar o criolo permitiu um momento de verdadeira multiculturalidade, com os alunos caboverdianos que frequentam a Escola Abreu Callado, a participarem de forma activa na sessão, e, desta forma, a matarem a sodade de casa

terça-feira, março 17, 2009



Para quem gosta de vinho (Clicar)
O Blog do Paulo Moura

Se Tom Wolfe não é uma autoridade, não sei quem será. Foi ele, o pai do Novo Jornalismo, no ensaio "O Novo Jornalismo", que disse: Gay Talese inventou o novo jornalismo. Wolfe pegou num exemplar da Esquire e começou a ler um artigo sobre um pugilista a quem chamavam "A Bomba Castanha", que fora campeão e agora estava em decadência. O título era: "Joe Louis: o rei na meia-idade". E começava assim:

'Olá querida', disse Joe Louis à sua mulher, quando a viu no aeroporto de Los Angeles, onde ela o tinha ido esperar.
Ela sorriu, avançou para ele, e estava quase a pôr-se na ponta dos pés para o beijar, quando, de repente, parou.
'Joe', disse ela, onde está a tua gravata?'
'Ah, meu amor', respondeu ele encolhendo os ombros. 'Fiquei acordado a noite inteira em Nova Iorque e não tive tempo de...'
'A noite inteira?', interrompeu ela. 'Quando estás cá só queres dormir, dormir, dormir.'
'Meu amorzinho', disse Joe Louis com um sorriso cansado, ' eu estou velho'.
'Pois é', concordou ela, 'mas quando vais para Nova Iorque tentas ficar jovem de novo'

Tom Wolfe nunca tinha lido nada parecido. Aquilo era uma reportagem, mas tinha cenas e diálogos, como se fosse um conto.

O jornalismo nunca mais seria o mesmo e Gay Talese tornar-se-ia num dos nomes fundamentais do movimento do Novo Jornalismo, a que pertencem também o próprio Wolfe, Norman Mailer e Truman Capote.
Almanaque


Hoje é Terça-feira, 17 de Março, septuagésimo sexto dia do ano. Faltam 289 dias para o final de 2009.

Este dia é dedicado a São Patrício, bispo, e a São Ambrósio de Alexandria, diácono.

Nos céus, a Lua encontra-se na Fase Minguante. Quarto Minguante, dia 18, às 17:47.
O sol nasce às 06:45 e o ocaso regista-se às 18:46.

No porto de Lisboa, a preia-mar verifica-se às 06:51 e 19:10, a baixa-mar às 00:26 e 12:40.

Peixes é o signo dos nascidos nesta data, destacando-se de entre eles o cantor norte-americano Nat King Cole (1919) e o bailarino russo Rudolf Nureyev (1938).


Nesta data, em 1756, era canonizada a princesa portuguesa Santa Joana, filha de Afonso V.

Em 1776, tropas americanas, comandadas por George Washington, obrigavam o exército britânico a retirar-se de Boston, Massachusetts.

Em 1938, era assinado o Pacto Ibérico, Tratado de amizade e não-agressão entre Portugal e Espanha.

Em 1945, os norte-americanos ganhavam a batalha com os japoneses pela posse de Iwo-Jima.

Em 1959, morria, no Rio de Janeiro, o poeta português António Botto.

Em 1958, a marinha norte-americana lançava, com êxito, o satélite Vanguard-1.

Em 1976, morria o cineasta e encenador italiano Luchino Visconti.

Em 1978, o petroleiro Amoco Cadiz naufragava ao largo da costa da Bretanha, França, libertando cerca de 220 mil toneladas de ramas de petróleo.

Em 1988, o Senado espanhol aprovava o projecto de lei que abria a televisão à iniciativa privada.

Em 1990, Freitas do Amaral era reeleito líder dos centristas, no IX Congresso do CDS.

Em 1992, cerca de 70 por cento dos brancos da África do Sul votavam favoravelmente as reformas propostas pelo presidente De Klerk tendo em vista o fim do Apartheid.

Em 1993, morria o professor António José Saraiva, 76 anos, personagem de relevo na cultura portuguesa do século XX.

Em 1994, iniciava-se em Versalhes, França, o julgamento de Paul Touvier, acusado da execução de sete reféns judeus durante a II Guerra Mundial.

Em 1995, a Polícia Judiciária de Faro apreendia 1500 quilos de cocaína colombiana. Na mesma data, Totto Rina, chefe máximo da máfia siciliana, era condenado, em Palermo, a prisão perpétua.

Em 1996, morria o cineasta francês René Clement, 82 anos.

Em 1997, chegava a Luanda o primeiro grupo de 49 deputados da UNITA.

Em 2000, a BMW vendia a Rover.

Em 2001, cinco pessoas ficavam feridas, três delas com gravidade, num tiroteio à porta de uma discoteca em Lisboa.

Em 2002, o PSD vencia as eleições legislativas em Portugal, com 40,12% dos votos.

Em 2003, o presidente norte-americano George W. Bush prometia guerra ao Iraque se Saddam Hussein e os filhos não deixassem o país em 48 horas.

Em 2004, a multinacional canadiana Bombardier anunciava o fecho da fábrica na Amadora, em Maio.

Em 2006, o Tribunal de Instrução Criminal de Guimarães pronunciava Fátima Felgueiras pela prática de 23 crimes.

Em 2007 ocorria a investidura do novo governo de unidade nacional palestiniano, da Fatah e do Hamas, tendo como primeiro-ministro Ismail Haniyeh.

Entrava em vigor a Convenção sobre a Protecção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais, lançada em 2002 pela UNESCO e aprovada em 20 de Outubro de 2005, em Paris.

A curta-metragem de animação "História Trágica com Final Feliz", de Regina Pessoa, conquistava o Grande Prémio do Júri do South by Southwest Film Festival, em Austin, no Texas.

Morria Ernst Haefliger, 87 anos, tenor suíço.

Em 2008, os confrontos na cidade de Kosovska Mitrovica, norte do Kosovo, entre nacionalistas sérvios e forças internacionais, faziam pelo menos 140 feridos, dos quais 27 polícias polacos da MINUK e 20 soldados franceses da KFOR.

domingo, março 15, 2009



Retratos

Após a reportagem vídeo, ficam aqui para a posteridade os retratistas e os retratos. Talvez os retratos sejam melhores, apesar de na imagem em baixo, aparecer um senhor que também sendo fotógrafo nas horas vagas, não tem nada a ver com estes retratos.

No entanto, é sempre bom lembrar que Fernando Máximo, foi o vencedor do concurso de fotografia sobre a Albufeira do Maranhão, promovido pela Câmara de Avis.

O Jorge e o Chico que se cuidem que, pelos vistos, fotógrafos há muitos...

Esclarecimento

Andam para aí a dizer que a história curta aqui publicada há umas semanas atrás, faz referência directa a um «determinado» dono e a um «determinado» café de Avis.

O Maranhão esclarece que qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência, não negando, porém, que alguns dos factos relatados nesta obra de ficção até ao autor lhe fazem lembrar situações e personagens com quem lida na vida real. Outras - situações e personagens - são de tempos diferentes e de diferentes cafés ...

sábado, março 14, 2009

Coisas que se ouvem...

Beber sozinho é triste, mas com muitos sai caro...


Elias de sábado, 14, no JN

Dedicado ao poolman

video

São caracóis, são caracoletas...

Há aí um café n' Avis que não presta para nada! O dono foi picado pela mosca do sono, proibiu, de repente que se fumasse no estabelecimento e anda sempre de mau humor...

Mas, verdade seja dita, o rapaz não tem só defeitos. De vez em quando - muito de vez em quando... - é homem, justiça seja feita, para dar uma de convivialidade. Ah! e é do Benfica, o que conta muito.

Na última sexta-feira, o repórter da WTVM presenciou um desses momentos mais permissivos do dito cujo «taberneiro». Um grupo de clientes conseguiu, sabe-se lá como, apanhar umas poucas de caracoletas, e ele permitiu que fossem deglutidas às mesas da «casa de pasto».

Confesso que não sou fã, mas para a posteridade aqui fica registada a ementa que ainda contou com a presença de alguns enchidos de se lhe tirar o chapéu. Na palavra de um dos comensais era porque «não eram de compra», o que quer dizer que os deve ter trazido de casa...

terça-feira, março 10, 2009

video

Não saia do seu lugar...

Segue-se um pequeníssimo bloco publicitário de apenas alguns segundos.

*
* *

Todos os canais que se prezam, fazem saber que são independentes de qualquer tipo de poder, a saber: político, económico, futebolístico ou religioso.

O WtvM não foge à regra - não queremos cá saber de partidos (excepto de um...), nem de grupos económicos (excepto de alguns...), nem de clubes de futebol (excepto de um... BENFICA!), nem de religiões (excepto de todas).

Assim, para financiar as nossa emissões, não temos outro remédio do pedinchar ao comércio local o anúnciozeco da ordem. Excepto quando damos uma borla que é o caso do spot aqui de cima.

Assim, ficam a saber que a ópticavis passou a disponibilizar aos seus clientes, após marcação, uma consulta de oftalmologia.

E, já agora, mesmo ali ao lado (faltou a bateria ao telefone para poder mostrar...) há uma loja de fotografia que faz milagres aos mal encarados, carecas, e etcs e tais. Não deixe pois de entrar e aproveite para tirar umas fotografias tipo-passe que apesar de cada vez servirem para menos, têm a vantagem de ser pequeninas e, assim, não ocuparem muito espaço. Avisphoto - com ph - é o nome do estabelecimento em causa. Se não tiver PH, não entrem...

Vá lá, façam compras no comércio local.

segunda-feira, março 09, 2009

video

Pequena GRANDE reportagem

É melro, mas não tem penas...


É melro, mas não tem penas, não é belga, mas joga-o como (quase) ninguém, e, para além de tudo, tem uma grande virtude: é benfiquista.

Quem o quiser desafiar, encontra-o no «Caçador», ali no Alcórrego, em dias de bom tempo.

Como a reportagem documenta, a esplanada apresenta as melhores condições técnicas para a prática do dominó e, como prémio, sempre pode ir vendo como é que vai ficar a nova entrada para a freguesia.

domingo, março 08, 2009

video

Hora de estudo...

video

WtvM (web tv maranhão)

Como já perceberam, entre ontem e hoje, o canal mudou de nome.

Amanhã, mostramos o logotipo. Entretanto, continuam as emissões experimentais.

sábado, março 07, 2009

Dois em Um

Hoje, 7 de Março, mais ou menos à hora em que publico esta posta, está a decorrer no Auditório Muncipal, uma apresentação do Rancho Folclórico de Avis.

O repórter de «o maranhão» de serviço no local, para presenciar a inauguração da exposição de retratos de Jorge Traquinas e Francisco Cordeiro, aproveitou e filmou os dois acontecimentos...

Quer dizer, apanhou os fotógrafos à janela e os bailadores momentos antes de entrarem para o palco.

ficam as imagens da RTVM (rádio televisão do maranhão)


video




Eles «andem» aí...

Estava eu, sossegadinho, em casa, quando me entra pela caixa do correio o último boletim da Valnor.

«Nada de extraordinário», diz o leitor, e acrescenta: «a mim também».

Pois, mas a fotografia do Engenheiro (?) Rui NObre Gonçalves - Presidente do Conselho de Administração da Valnor, não lhe suscita a mínima ideia?!

Claro, é mesmo esse que ainda há dias vimos na televisão a jurar a pés juntos que o Engenheiro (?) José Sócrates não era visto nem achado no caso Freeport.

Sim, sim este senhor era secretário de Estado do Ambiente do então Ministro Sócrates...

Onde ele havia de vir parar... Afinal, as lealdades têm de se pagar e, às vezes, os silêncios também.

quinta-feira, março 05, 2009



























PÚBLICO


Há 19 anos, mais hora, menos hora, devia estar de volata da capa do primeiro número do PÚBLICO.

Sejamos claros: do primeiro que saiu para as bancas, porque entre dezembro e março fizemos mais uma série deles que não foram vistos (?) por ninguém a não ser pela equipa que os produzia.

É uma das coisa que hei-de deixar de herança aos meus filhos: os célebres números zeros do PÚBLICO - colecção completa.

A verdade é que, tenho saudades desse tempo, como tenho de outros que vieram depois...

Mas hoje, é tempo de lembrar esses dias loucos em que pensávamos todos que íamos fazer o melhor jornal do mundo. E, a verdade, é que falhámos por pouco. Mesmo com o Belmiro a atrapalhar, foi por pouco que não conseguimos.

Parabéns aos que ficaram, e saudades dos que partiram - com o Torcatão à cabeça, não esquecendo os outros que andam por aí, como o Santana Lopes...
Já há missa no Convento.

Agora desta é que foi: o Convento já está, de novo, a funcionar. Espera-se que com mais respeito pelos vizinhos, para ver se chega ao verão, altura em que sabe bem estar na esplanada a ver as estrela e a beber uns canecos...

quarta-feira, março 04, 2009

História curta

Mesmo dizendo nada não deixava de falar. Era assim que o via. Era assim que ele se via. Às seis, todos os dias, Verão ou Inverno, lá estava atrás do balcão. A televisão há muito que se tinha calado, reconhecendo a derrota, face a tal concorrente. Os clientes, habituados ao vendaval de palavras, adoptavam tácticas diferentes tentando evitar a enxurrada de sons: uns nada diziam, outros, ainda com um pé de fora, atiravam logo o pedido e apenas os mais temerários se esforçavam por gritar mais alto que ele.

Nada o demovia. Esperava pacientemente a oportunidade e, quando apanhava uma aberta, metia a palavra como uma bandarilha no cachaço do touro. Não falhava. Era certeiro e selectivo. O que dizia a um não servia para outro.

Vezes houve em que o «Jirómino» quase passou o risco, mas não há notícia de desentendimentos com a clientela. Fazia-se de parvo, mas não o era de todo.

O antigo proprietário da tasca, era diferente. De outra geração, foi obrigado por força do progresso a comprar uma máquina de café «de ligar à electricidade» para a velha taberna. Os mariolas da terra, faziam bicha ao balcão para lhe pedir um cafézinho da dita cuja «malvada» sempre desligada. «Desligada, sim! que a luz custa dinheiro e não dá jeito cada vez que me pedem um café estar a ligá-la à corrente. Toma lá cinco coroas e vai bebê-lo noutro lado»..., dizia o velho taberneiro atirando, com desprezo, uma moeda para cima do balcão.

O Jirómino, não! Desengane-se quem pensar que por ter passado grande parte da vida a guardar gado - primeiro como ajuda, mais tarde como «moiral» - não sabia dar contas à vida: «se uma vaca tem quatro patas, duas hão-de ter oito. Passa para cá o dinheiro e põe-te ao fresco»...
Quando, finalmente, ficava sozinho, abria a vitrina e punha-se a ajeitar a mercadoria dentro das travessas de alumínio: «Vá, chega-te para lá»... dizia ele para os queques e tortas, dando-lhes vergastadas com a pinça dos bolos, como se tocasse o rebanho para a cerca.

Certa manhã, entrei no café e estranhei o ambiente. Até o roufanhar da televisão se ouvia. Olhei de repente para o balcão, mas ele lá estava. Pedi uma bica, abri o jornal e, escondido pelas folhas, mirei os presentes à espera de descobrir nas suas caras explicação para tal coisa. Serviu-me o café sem abrir o bico. Ninguém arriscava perguntar-lhe, directamente, a causa de tão estranho comportamento. Até porque a sua cara denunciava algum sacrifício e todos sabemos que o sofrimento alheio merece respeito. Os clientes matinais iam saindo aos pares e, na rua, comentavam baixinho a situação. «Não deve ser coisa boa», dizia um. «O Jerónimo calado é o mesmo que um ribeiro sem água», concordava logo o outro.

Ao almoço, a situação mantinha-se. O silêncio continuava a ser de ouro. Às três horas saiu de mansinho, sem nada dizer, dobrou a esquina, fez os duzentos metros que o separavam da farmácia de olhar cabisbaixo, abriu a porta de vidro e entrou.

Razão tinha quem dizia que a coisa devia ser grave. Ninguém se lembrava da última vez em que ele tinha ido à farmácia. Devia ser caso sério.

Minutos depois regressou ao café. Trazia um saco de plástico com uma embalagem. Sempre em silêncio, dirigiu-se à porta do fundo que dava acesso à sua residência. Passados alguns instantes, voltou sem uma palavra.O Antunes não se conteve. Emborcou a média de uma vez, pagou e raspou-se pela porta a grande velocidade. Passados dois minutos já estava de conversa com a Rosa da Farmácia e daí a outros dois estava de volta à tasca com um sorriso estampado na cara. No meio das sala, chamou para si as atenções e, com ar de gozo anunciou: «Pessoal, o Jerónimo apanhou uma pontada de ar e ficou afónico»...
















Ler Jornais é Saber Mais ????


Às vezes, digo eu. O Semanário - uma espécie de jornal que ainda se publica por aí - na última edição garantia a pés juntos, e na primeira página, que Soares, Guterres, Sampaio e Alegre iriam ao Congresso do PS. Azar! Não foi nenhum. É preciso ter galo, tantas hipóteses de acertar pelo menos em um e nicles...

Por acaso, a mim, aconteceu-me o mesmo, mas foi no euro milhões: joguei com sete estrelas, e logo por azar sairam os dois números que não tinha usado...
Só eu é que envelheço...

Aqui há marosca. Já não bastava a história do canudo tirado ao fim-de-semana e por fax, a casa comprada a preço abaixo do mercado, a história mal contada do «fripó» - como ele diz - e as malfeitorias que nos tem feito que, agora, o homem quer ficar imune à passagem do tempo, provavelmente para se eternizar no poder.

Quem me alertou para a questão foi o ouriquense, mas para não irem mais longe e não perderem muito tempo deixo aqui as imagens de sócrates 2009 e sócrates 2005.

Descubra as diferenças. Se conseguir...